5 habilidades que todos os freelancers em Portugal devem ter

Confesso que quando decidi começar com o Good Enough Marketing, não imaginei que isso ia exigir tanto de mim! Trabalhar sozinha como freelancer requer habilidades que vão muito além do que estudei ou precisei aprender durante toda a minha vida!

É preciso fazer propostas, emitir recibos, declarar impostos, fazer um site, produzir conteúdo, gerir pessoas, gerir o meu tempo, me motivar, fazer networking.… Meu deus, como ninguém me disse antes que eu teria que aprender tanta coisa? Socorro!!

Para te ajudar a refletir sobre o assunto, listei 5 habilidades que considero essenciais para mim e para qualquer freelancer que queira se aventurar em Portugal (ou no mundo):

1. Marketing Digital

Conseguir visibilidade é uma das coisas mais difíceis no início, por isso será muito útil saber estratégias de marketing. Garantir uma boa postura na internet é um fator indispensável para afirmar-se no mercado e estabelecer boas conexões. Como freelancer, você precisará encontrar novos clientes regularmente (a menos que tenha contratos de longo prazo) e isso significa que precisará ser boa em vender os seus conhecimentos e habilidades, provando que é a opção certa. Por isso convém buscar no querido Google por assuntos como:

  • Branding pessoal
  • Copywriting
  • Construção de marca
  • Como criar um blog
  • Gestão de redes sociais 
  • Produção de conteúdo

Lembre-se que capacitar-se não é opcional quando se trabalha como freelancer. Como uma ‘regra geral’, considere que você trabalhará em projetos que requerem um bom domínio da tecnologia e um alto nível de atualização da sua área de atuação. É de sua responsabilidade melhorar sempre e aprender novas e relevantes competências que manterão os seus serviços atuais e apelativos. Além disso, hoje em dia é relativamente mais fácil ser autodidata e aprender muitas coisas de forma gratuita na Internet. 

2. Línguas

Com a internet e as novas tecnologias, não é preciso deslocar-se para ter acesso a clientes internacionais.  Por isso, conhecer um segundo idioma pode abrir portas, além de permitir trabalhar com moedas estrangeiras. 

Usar apenas a sua língua nativa limita muito o âmbito de pesquisa, por isso, dominar outra língua pode multiplicar as suas fontes de informação. Você vai ser capaz de traduzir estudos, artigos, ir em palestras e conversar com pessoas de outras culturas. Os seus trabalhos passarão a ser ricos, relevantes, mais bem argumentados e com diversas referências!

Aqui em Portugal já ouvi dizer de um grupo chamado Speak Social e 12 encontros custam apenas 29€! Lá você pode aprender uma nova língua e ainda conhecer pessoas da sua cidade.

3. Comunicação

Ter uma boa oratória é, basicamente, conseguir expressar-se com clareza. Quando isso acontece, somos capazes de manter diálogos mais interessantes e expor as nossas opiniões de forma clara.

A nossa autoestima afeta diretamente a capacidade de expressar as nossas opiniões, pois está relacionada com a percepção que temos de nós mesmas. E é por isso que as habilidades de oratória são importantes não só para apresentações em público, mas também para todos os momentos do dia a dia. 

A maneira como comunicamos influencia diretamente na imagem que transmitimos aos outros. Se falamos bem, temos grandes chances de transmitir uma imagem de confiança. Ao contrário, quando temos muitas dificuldades em nos expressar, acabamos por ser percebidos como inseguros, que não dominamos bem o assunto ou que não sabemos manter conversas interessantes.

Além de saber comunicar, saber liderar e gerir pessoas é necessário para trabalhar em equipa em várias ocasiões. Com o aumento da demanda de trabalho, por exemplo, é possível que você precise fazer parcerias ou mesmo montar uma equipa (independentemente da quantidade de pessoas, gerenciar um grupo não é uma tarefa fácil, principalmente quando exige alguma negociação).

Ah, se você acha que não precisa negociar porque não trabalha com vendas, você está totalmente enganada! Em qualquer área, há negociação: para discutir os próximos passos com o cliente, para definir metas, para persuadir, propor soluções em que todos ganham, saber negociar propostas e o valor do seu trabalho, etc.  

Convencer os outros de que precisam dos seus serviços é essencial quando você é a sua própria chefe e 100% responsável pelos seus rendimentos todos os meses. Além disso, terá que conseguir negociar quer seja através da escrita ou cara a cara. 

Para treinar essas habilidades, junte-se a mim no encontro semanal do Oporto Toastmasters Club (uma organização dedicada a melhoria das competências de comunicação  e liderança).

Além de saber falar e se expressar, é extremamente importante também saber escutar. A escuta ativa não é simplesmente o ato de ouvir calada o que o outro tem a dizer, mas sim demonstrar interesse pelo assunto e evitar qualquer julgamento sobre quem está a falar. 

Grande parte das pessoas não consegue estabelecer um diálogo eficaz pois, muito do que é ouvido, não é de fato assimilado e interpretado pelo ouvinte, seja por falta de concentração, excesso de dados, entre outros fatores que lhes impedem de estabelecer uma conexão verdadeira. A escuta ativa ajuda muito a criar bons relacionamentos, minimizar conflitos, otimizar o tempo, gerar confiança e a fazer um bom networking!

Escute as pessoas e não se isole durante a sua jornada de trabalho, pois irá perder a oportunidade de se conectar com outros profissionais, tanto aqueles do seu ramo de atuação quanto os de fora. Por isso, sair da zona da conforto e praticar o networking é uma das melhores maneiras de conhecer clientes potenciais. Participar de eventos, meetups, workshops e trabalhar num cowork ajudam a fazer novas conexões, além de reciclar conhecimentos.

4. Contabilidade e Finanças

DEUS.TE.ABENÇOE porque como freelancer, você será sim o seu próprio departamento financeiro! Determinar onde investir para melhorar a sua marca, manter os impostos em dia e fazer o negócio crescer (e ainda VIVER, tudo ao mesmo tempo) pode ser bastante complicado! 

É por isso que você deve familiarizar-se bem com o enquadramento financeiro da área que escolheu. É preciso saber o que é IVA, IRS, retenção na fonte, abertura de atividade como profissional independente, como declarar impostos, emitir recibos e etc etc etc. BOA SORTE!

(Desculpe mas não consigo ser positiva nesse tópico, ele ainda me tira muito do sério. dica: procure um contabilista para te ajudar!)

5. Autoconhecimento – Mindset

Você experimentará o fracasso. Não há saída, todas nós iremos! Quando você é freelancer, isso pode ainda acontecer com mais frequência do que na “vida normal”. Talvez o seu cliente repentinamente termine a colaboração porque não está mais satisfeito com o seu desempenho. Talvez o seu novo negócio não seja tão bem-sucedido quanto você esperava. Talvez você se sinta mais solitária do que desejava.

Tudo isso faz parte do jogo e uma das habilidades necessárias para a vida de freelancer é a de aprender a lidar com as incertezas e com as falhas do dia a dia. É preciso conseguir enxergar aprendizados em todas as situações e não levar nada muito pessoal ou a sério. Afinal, é muito importante que um freelancer seja capaz de lidar com situações de crise sem se deixar abater, nem afetar a sua produtividade. A vida continua!

Seja ativa, busque novas soluções e as aplique. Tome a iniciativa, ative o seu olhar crítico para reconhecer as oportunidades. A vida de freelancer é divertida e oferece muitas oportunidades para ver e experimentar coisas novas. Seja curiosa! Absorva todas essas novas influências. Não fique sempre sentada no seu apartamento ou espaço de coworking na frente do seu notebook. Saia, explore a cidade, conheça novas culturas e observe as pessoas! 

Conhecer a si mesmo é a melhor maneira de desenvolver os seus pontos fortes e saber lidar com os seus pontos fracos. Todos temos padrões de comportamentos, bons e ruins, e quando conseguimos identificá-los, podemos reforçar aqueles que são positivos e minimizar os negativos (é muito importante que você saiba do que é capaz, do que pode fazer e quais são os seus limites).

Você precisará de muita autoconfiança e alinhar isso com uma atitude positiva. É isso que a manterá ativa quando estiver longe dos seus amigos e familiares. Além disso, se você não acreditar em si própria, os seus clientes também não vão acreditar. 

Trabalhar como freelancer é muito diferente de trabalhar num “formato tradicional”– ninguém irá verificar se está tudo sob controle e você terá que descobrir isso sozinha!

Por isso, é crucial que você seja capaz de preparar-se para um dia produtivo de trabalho e automotivar-se…porque ninguém fará isso por você!

Embora pareça simples em teoria, as habilidades de gerenciar o tempo exigem muita autodisciplina e organização para serem implementadas de maneira eficaz. Então, você precisa desenvolver a capacidade de organizar, planear e dividir o seu tempo todos os dias para maximizar a produtividade.

Já deu para perceber que ser freelancer é tornar-se uma empresa completa, né? Isso porque nem falei em Gestão da empresa, Recursos Humanos, Administrativo, etc… Áreas cujas habilidades também precisamos desenvolver! 

Talvez você tenha percebido que precisa melhorar muitos pontos, mas não se desespere! Ter essa consciência é o primeiro passo para melhorar! Praticar estas habilidades todos os dias no seu negócio é a melhor forma de transformá-las em hábitos e, eventualmente, incorporá-las na sua personalidade!😉

2 thoughts on “5 habilidades que todos os freelancers em Portugal devem ter”

Leave a Comment

Your email address will not be published. Required fields are marked *